nome

Developer Fullstack – ou super homem a poucos metros da kriptonita

Publicado em 10 de janeiro de 2019
Autor: Mateus Ávila Isidoro

Esta postagem foi a inspiração para escrever a postagem de hoje. A fonte é o CSS Tricks

O desenvolvedor fullstack é o novo webmaster do século XXI. Os nomes bonitos e em inglês vão ressignificando a profissão de desenvolvedor quase que anualmente, acrescentando atribuições e, em raros casos, aumentos salariais proporcionais a esta nova demanda.

O foco do texto é alertar que um nome bonito pode causar muitas dores de cabeça.

Habemus super homem?

Uma das coisas mais incríveis que diferencia os homens dos animais é o cérebro altamente desenvolvido. Esta capacidade traz consigo a memória e a capacidade de aprender novas técnicas e conhecimentos, a partir das experiências que tem na sua vida. Para nós desenvolvedores, teríamos que experimentar cotidianamente tecnologias novas, que são criadas em uma faixa de tempo muito rápida.

Se olharmos todas as áreas do conhecimento, vemos que as mudanças filosóficas e científicas da humanidade tem transformações graduais, com bastante tempo de adaptação. Claro que a internet foi um catalisador de mudanças na forma de possibilitar muitas discussões e técnicas que antes eram entregues e devoradas por livros. Se discussões importantes eram feitos em lançamentos de livros com determinada cadência, hoje elas são feitas em poucos minutos, sem a maturação necessária.

Isto modifica também como se forma o trabalhador digital. Se nos primórdios da internet as fontes de informação eram livros e documentações longas e complexas, a formação de um profissional hoje é muito rápida, pois muitos tutoriais são lançados a todo momento. Um leitor do site Medium com o tema Front End Development verá diariamente muitos artigos novos. Se o leitor tiver bom domínio do inglês, sites como dev.to e Front End Front são verdadeiras enciclopédias com assuntos importantes para a área de desenvolvimento web.

Com isto, em teoria, é fácil conseguir ser desenvolvedor fullstack – desde que a empresa libere o PC para consultar no stackoverflow.

Anatomia do fullstack web moderno

Cirurgicamente, abrimos a cabeça do que consideramos um profissional fullstack ideal. Nossos bots supersensíveis à sinapses levantaram uma lista do que este profissional hipotético possui:

  • HTML
  • CSS
  • Javascript Vanilla ou Jquery
  • Algum framework de JS
  • Alguma linguagem Backend
  • Algum framework backend ou WordPress
  • Alguma linguagem de Banco de Dados
  • Alguma ferramenta de edição de imagens, tipo Photoshop ou Fireworks
  • Alguma ferramenta de recorte de projetos, como Adobe XD, Zeplin
  • GIT
  • Alguma ferramenta de gestão de tasks (gulp, grunt)
  • Alguma ferramenta de publicação de projetos, tais como Amazon, Docker ou Kubernetes
  • Alguma tecnologia da moda, como GraphQL

A lista é enorme, e ter o domínio de todos os conteúdos acima leva o desenvolvedor a ser desejado por qualquer empresa (quase que um unicórnio, por assim dizer). Entretanto, o foco do texto é afirmar que não existe este domínio completo. Em algum dos tópicos acima, o desenvolvedor vai ter um domínio não tão preciso.

Posso falar do meu caso, que sou desenvolvedor fullstack, mas não tenho conhecimento algum de Docker, uso muito pouco o Git, detesto Photoshop e sei o basicão de VUE.js e PHP. Tendo em mente que há colegas que conseguem ser excelentes no back-end e não consigam centralizar uma div na tela. A questão é que todos temos um ponto fraco, uma kriptonita que caminha em nossa direção na velocidade da luz.

This is about time

Como definir o que é mais rápido para uma organização: ter dois funcionários ágeis que dominam grande parte das suas áreas, ou um funcionário que tem 70% do domínio de duas áreas e 30% mais lento? Imagino que a resposta seja ter um funcionário multi tarefa. Por razões óbvias, pagar dois salários pesa mais na conta das empresas do que um só. Esta seria a razão de que tanta procura por full stack.

Pesquisando pelo termo full stack no site https://hipsters.jobs percebemos que hoje, dia 10/01/2019, temos 31 vagas em aberto. O termo front end tem 60 vagas. Mesmo que meu argumento pareça perder força, percebi que nas vagas de front end:

  • 13 pedem algum domínio de linguagem back end
  • Todas pediam ao menos bom domínio de Javascript, traduzindo em Angular Js, Vue, React e mesmo Vanilla.
  • Cinco empresas gostariam que o contratado aceitasse desafios além da sua atribuição inicial

A questão é que o desenvolvedor front end acaba sendo seduzido por um aumento salarial ou por desafios, entretanto o cantar da sereia para que ele vire Fullstack ou que a vaga seja um fullstack disfarçada está ali.

Mesmo que ele seja 30% mais lento que dois desenvolvedores, no final das contas, compensa ter um desenvolvedor fullstack

As malditas vagas para fullstack

Abaixo vou colocar algumas vagas para fullstack que tem salário à combinar ou não definidoe vou passar um pequeno feedback pessoal e do quanto que deveria ser o salário.

Vaga 1: https://hipsters.jobs/job/8460/analista-desenvolvedor-full-stack/
As exigências desta vaga são muito amplas para que um profissional preencha todas as necessidades desta vaga. Aqui eu vejo a deturpação do ideal de fullstack, onde querem um profissional que saiba tudo, e aliado a pressão elevada (“trabalhar com os melhores”, “demandas dos clientes suprimidas de forma ágil e impecável”). Ainda tem o analista no nome, que aumenta ainda mais a carga de trabalho dele. Acho que se o desenvolvedor que concorrer a vaga botar algo entre 10 a 13k estará trabalhando por pouco. Sorry, mas a descrição da vaga é bem ruim.

Vaga 2: https://hipsters.jobs/job/8188/est%C3%A1gio-de-desenvolvedor-full-stack
Esta vaga é pra estágio. A pressão é elevada para quem está iniciando a carreira agora. O termo familiaridade é muito vago, pois um estágio ele deveria estar aprendendo a trabalhar num ambiente de empresa. Se este estágio, com tantas exigências, pagar 2k ou 3k seria de bom grado.

Vaga 3: https://hipsters.jobs/job/8002/desenvolvedor-full-stack/
A descrição desta vaga parece condizer com as funções que o funcionário realmente irá desempenhar. Eu recomendaria remover a frase “antes de mais nada excelentes programadores” pois ela fez perder meio ponto na média (Sorry, lembrando do tempo que era professor de Geografia). Não sei como é a empresa, moro bem longe dela, mas parece que aqui o fullstack terá suas atribuições respeitadas. Recomendaria um salário entre 5k a 10k, dependendo da realidade do desenvolvedor.

Repare que são 3 vagas, algumas com exageros aparentes, e outras que parecem ser mais realistas. O fato aqui é que o termo fullstack mostra claramente quais são as intenções da empresa com este funcionário. É no fullstack que temos as vagas mais sem noção do mercado de TI.

Tá, nenhuma das vagas acima consegue competir com a vaga abaixo:

Por uma correta valorização da carreira

Não quero declarar que quem consiga fazer minimamente bem o papel de fullstack não tenha o direito de fazê-lo. Longe disso. Quero alertar que um dos inimigos da qualidade do trabalho é o acúmulo de funções sem a correta remuneração e tempo. Ter que dar conta de um universo muito grande de responsabilidades num tempo muito curto é trazer a kriptonita mais perto do peito.

Vamos ver duas situações hipotéticas sobre o desenvolvedor fullstack, que eu acredito que possam existir:

Situação 1 – Desenvolvedor de Temas do WordPress: O Desenvolvedor WordPress que monta temas do zero tende a ser um fullstack. Ele faz muito uso do HTML e do CSS, responsabilidades de um front end puro, com javascript e PHP, do back end. Na minha avaliação, o que é esperado aqui é que ele saiba as nuances da ferramenta para gerar os melhores resultados possíveis.

Situação 2 – Desenvolvedor MEAN Stack: O desenvolvedor MEAN tem que importar uma lista de dados salvos no Mongo DB num scaffolding gerado com Bootstrap. Ele sabe que haverá alguns ajustes mínimos no CSS, mas o prioritário é ele dominar as requisições do Express.

Estes casos são exemplos que faz sentido ter o fullstack. Ele não precisa dominar HTML com os aria-label ou uma técnica avançada de CSS, desde que seja dado o tempo correto para ele evoluir o produto com o tempo. Entretanto na hora das vagas é exigido um domínio impressionante de todas as esferas acima citadas, e os salários abaixo do que seriam pagos para 2 profissionais. Em resumo, gourmetizaram a vaga de webmaster.